Dicas

Dicas de fotografia de natureza


Macrofotografia


Não sou um expert no assunto, longe disso, tenho amigos como o fotógrafo Maxwel Rocha e o fotógrafo Rocco Ribeiro que são referências em macrofotografia. O que quero mostrar é que se temos uma câmera DSRL, mas não temos condições de comprar uma lente macro que na maioria das vezes ultrapassam o valor de R$ 2.000,00, não precisamos deixar de fotografar macro, então vamos olhar equipamentos que servem para a macrofotografia com um custo bem menor ou com o custo zero. 

A primeira dica são os tubos extensores, toda objetiva tem uma distância focal mínima, o que nos impede de dar foco muito perto do objeto quando não temos uma objetiva macro, o tubo extensor vem servir para diminuir essa distância focal, custa em média R$ 50,00, o problema é que a objetiva não vai ter contato com a câmera e o foco será feito de forma manual e o diafragma ficará sempre no mais aberto, o ideal é que seja feito com lente de kit já que o diafragma é mais fechado que uma 50mm, aumentando assim a profundidade de campo, é um item que ajuda muito a você conseguir bons resultados sem gastar tanto.

A segunda opção é o filtro close-up, que encaixa na frente da objetiva, ele funciona como uma lupa o que também diminui a distância focal, o problema é que ela gera apenas uma pequena área de foco no meio da lente, tem um custo em média de R$ 50,00 a R$ 100,00 dependendo do modelo, essas duas fotos de insetos eu fiz com o filtro close-up.








A última dica é a lente invertida, podemos pegar a objetiva e inverter encaixando-a no corpo, o resultado é melhor em lentes com abertura a partir de F/3.5 (lente do kit) já que vamos segurar o diafragma todo aberto, a Canon tem um anel de encaixe para a lente invertida, coloquei duas fotografias do antes e o depois de uma folha com o resultado da lente invertida e uma outra foto com a lente invertida. Espero ter ajudado e até a próxima terça.






Longa exposição em cachoeiras



Estamos falando de longa exposição, então teremos que ter um tripé e pouca luz, nessa foto usei a lente do kit. 

Dificilmente vamos a uma cachoeira a noite, o que seria o ideal para uma longa exposição, e nunca devemos ir sozinhos por causa de nossa segurança, essa fotografia eu fiz ontem, na companhia da minha esposa, as 18:30 h aproximadamente, na usina Padre Julio Maria em Manhumirim MG, escolhi esse horário pois é um horário com pouca luz, porém ainda de dia. 

Primeiro passo: usar o ISO baixo, o mais baixo que sua câmera permitir, use sempre no modo timer para a fotografia não ficar tremida quando apertar o disparador. 

O diafragma, diferente da longa exposição de estrelas, tem que estar bem fechado já que ainda existe luz no ambiente, se você se afastar um pouco para usar a distância focal em 24mm, 28mm ou 35mm vai conseguir fechar o diafragma ainda mais, o que lhe permite chegar a um tempo maior de exposição, chegando assim ao resultado desejado. Nessa fotografia consegui chegar a um tempo de 04 segundos de exposição com o diafragma em F/22 e ISO 100.

Quando vou compor a foto, uso o tripé bem baixo, principalmente se a cachoeira for pequena, o que pode ser muito desconfortável em alguns lugares, mas o resultado é realmente melhor.

Finalizei editando no CS6, aumentei a vividez das cores.

A última dica são os filtros ND (densidade neutra), que nos permite aumentar o tempo de exposição em lugares mais claros.

O resto é fotografar muito, 365 dias por ano, abraço!

Como fotografar estrelas? 



Para quem usa uma câmera com sensor Full Frame é mais fácil chegar a um resultado desse (e até melhor) já que o ISO pode ser elevado sem perder tanta qualidade em sua imagem, quem tem objetiva grande angular clara também ajuda muito, mas com as câmeras cropadas e lente de kit o papo é outro. 

Em primeiro lugar procure um lugar com pouca luminosidade, alguma roça ou estrada, tenha cuidado com a sua segurança e nunca vá sozinho, tenha também um tripé já que estamos falando de longa exposição.

Procure sempre ir em noites sem lua, ou que tenha um mínimo de luminosidade possível. Eu uso esse site para saber os dias de pouca luminosidade.
http://www.apolo11.com/efemerides.php

Use o diafragma aberto ao máximo que a sua objetiva conseguir, use ISO alto (mas cuidado com o ruído), uso na minha D7000 sempre até ISO 1600, e velocidades de 25 a 30 seg. a primeira foto usei 30 seg, ISO 800 e abertura de F/3.5.

Uso o balanço de branco sempre em Manual com temperaturas frias, 2500k a 3000k para ter esse tom azul.

Se você fotografar em arquivo RAW, conseguirá um melhor resultado no último passo que será a edição para intensificar as cores e o brilho, uso sempre o Lightroom 5.

Como fotografar um pássaro voando?



Primeiramente estamos falando de aves, então precisamos de uma tele-objetiva (acima de 200mm em câmera de 35mm já ajuda, eu tenho uma 55-300)


Esse beija-flor tem aproximadamente 8 cm e 3 gramas, o que dificulta bem as coisas, então vamos por partes.


Para fotografarmos pássaros devemos ter muita paciência, roupas que não chamem a atenção dos bichos, beija-flores são ariscos e extremamente rápidos, o horário também ajuda muito, a parte da manhã há sempre uma quantidade maior de pássaros. 


Devemos pensar primeiramente na fotometria, por ser um pássaro tão pequeno o diafragma não pode estar tão aberto, esse eu fotografei com F/8, se abrirmos muito mais do que isso, como F/4 teremos pouca profundidade de campo o que nos dificultará o foco.
Por ser um beija-flor voando, devemos pensar em velocidades altas, como 1/800 ou até mais, nessa foto usei 1/1250. Para conseguirmos uma fotometria tão específica (diafragma fechado e alta velocidade) vamos precisar de duas coisas para compensar: ISO alto, nessa foto usei ISO 800 (alto para uma câmera de 35mm) e sol, esse último é o fator principal de conseguirmos chegar a esse resultado. 


Segundo seria o foco, uso modo pontual, que facilita escolher um ponto específico já que existem muitas coisas que roubariam a atenção do AF como galhos e folhas, uso também o botão de AE para travar o foco em alguns momentos e o foco tem que ser sempre no olho do animal, nunca em outro lugar. 


Disparo sempre contínuo (CH), não da para ter certeza o momento ideal do voo, então se prepare para muitos arquivos. 


Na edição é normal acontecerem cortes para aproximar a ave devido a distância que às vezes ficamos dos bichos, não mude as cores para não descaracterizar o animal, no mais, é ajudar a preservar e registrarmos para que todos possam ver o quão é bela a natureza.